BIOCONSTRUÇÃO

   As casas construídas atualmente são totalmente dependentes das energias exteriores (elétrica, petróleo, gás, água, etc), e apesar de haverem diversas soluções simples de iluminação passiva, ventilação cruzada, saneamento ecológico, captação de água da chuva, aquecimento solar, pouco se aplica na prática, na hora da construção. 


   Isso tem uma raiz econômica, gerando um monopólio das grandes indústrias e governos, deixando as pessoas cada vez mais dependentes, além de gerar construções e soluções que não possuem nenhuma preocupação com a natureza e o meio que nos cerca, aumentando nossos problemas ambientais e sociais e agredindo o meio ambiente, sem nenhuma preocupação com o futuro do planeta e com as próximas gerações. Por isso, a bioconstrução não se limita apenas a construção da casa em si, mas nos faz refletir e respeitar muitos valores além da própria construção, facilitando a autoconstrução, o baixo consumo energético dos materiais empregados, diminuição de gastos e poluição com transporte e extração dos recursos, baixo custo e respeito com o planeta, além de acentuar nossa relação com a natureza, ao longo da execução e na vivência da edificação.

   A BIOCONSTRUÇÃO tem o objetivo de construir uma edificação saudável, que respeita o meio ambiente e o entorno onde está inserida e também criar um ambiente agradável para viver. Por exemplo, casas feitas com terra crua, que é um elemento natural e abundante, são frescas no verão e o frio do inverno não entra facilmente, além de termos a satisfação e o carinho de tê-la construído com as próprias mãos, a família e os amigos. 

   Na bioconstrução quem direciona o projeto, além das exigências de uso e desejos do proprietário, será o local, as ofertas de materiais do próprio terreno ou região, a disponibilidade de mão de obra, o entorno, o clima (principalmente observado em situações extremas), ensolação, ventos predominantes, acesso, disponibilidade de água e outros recursos.

Os materiais e soluções são diversos e dependerão de cada caso. Para enumerar alguns deles podemos citar o bambu, madeira certificada ou reaproveitada, a terra crua, pedra, palha, e materiais reciclados e reaproveitados de todos os tipos.

   Os materiais naturais utilizados da maneira correta atingem uma durabilidade tão alta quanto casas de concreto, com a vantagem de ser um material sustentável, que não gera resíduo e nem poluição para o meio! As soluções com o uso de materiais naturais são infinitas, basta juntar a técnica com a criatividade.  Algumas das técnicas mais usadas são: o pau-a-pique, taipa de pilão, tijolos de adobe, hiper-adobe, cordwood, calfitice, reboco natural, tinta em terra, bambu estrutural ou em painéis, coberturas verdes, paredes e fundação em pedra, entre outras técnicas tradicionais e ecológicas.

   Porém não é só pensar na construção em si, como já dissemos, toda a relação da edificação com o entorno e a natureza precisa ser contemplada! O tratamentos dos resíduos gerados, aquecimentos e fornecimento de água, drenagem correta do terreno e direcionamento de águas pluviais, relação com áreas de preservação próximas, fornecimento de energia, são apenas alguns dos pontos que uma casa realmente sustentável precisa respeitar. Assim ficamos de olho no meio ambiente de verdade!!!


E você, já experimentou bioconstruir? Além de ecológico faz bem pra alma e pro corpo!

PORQUE BIOCONSTRUÇÃO?

Wetland em Ibitipoca/MG - Projeto Taba Bambu

Pisando barro para o bambu a pique

Construção de paredes de pau a pique em curso

Detalhe de reboco natural - Projeto e execução Taba Bambu